Empresa pode descontar multas do salário de motorista, decide TRT-4

As multas de trânsito são penalidade de responsabilidade pessoal do empregado condutor do veículo, não podendo ser imputadas à empregadora.

As multas de trânsito são penalidade de responsabilidade pessoal do empregado condutor do veículo, não podendo ser imputadas à empregadora. O entendimento foi aplicado pela 4ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região ao decidir que uma transportadora não precisava devolver os valores descontados do salário de um motorista por multa de trânsito.

OPERADORA DE TV DEVE RESSARCIR EM DOBRO POR COBRANÇA INDEVIDA DE ALUGUEL DE EQUIPAMENTO

O relator do acórdão, desembargador George Achutti, reforçou que o profissional motorista tem o dever de cumprir com a legislação de trânsito ou responder pelas multas, em caso de infração. “As multas por infração às leis de trânsito constituem penalidade, sendo responsabilidade pessoal e exclusiva do condutor do veículo, no caso, o autor, não podendo ser imputadas à reclamada.

BANCO É CONDENADO A RESSARCIR CASAL DE IDOSOS POR SAQUES INDEVIDOS

O desconto correspondente às multas aplicadas, ainda que as infrações tenham ocorrido quando o empregado estava a serviço do empregador, não viola a intangibilidade salarial”, destacou o desembargador.

USINA É CONDENADA A PAGAR INDENIZAÇÃO POR DISCRIMINAÇÃO SEXUAL

Achutti ressaltou também que na primeira fase do processo o autor sequer negou que tinha cometido as infrações que resultaram nas multas e tampouco mencionou sobre a ausência de apuração de sua responsabilidade ou se era ele próprio que estava conduzindo o veículo. “Considero legítimos os descontos em questão, por serem correspondentes aos prejuízos causados pelo autor à empresa, correspondentes ao valor das multas por infrações de trânsito”, concluiu. A decisão foi unânime.

 

Via: jornaljurid

, , , ,
2 comments to “Empresa pode descontar multas do salário de motorista, decide TRT-4”
  1. Pingback: TRT-18 considera prova pré-constituída nos autos ao negar vínculo empregatício

  2. Pingback: Exoneração do fiador notificada no prazo do contrato só tem efeito 120 dias após locação se tornar indeterminada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *